Quando um GATO entra na família.

Para começar a história, eu nunca tive gato na vida, já tive cachorro, tartaruga, passarinho, mas gato não! Mas também nunca tive problemas com o animal, não tinha simplesmente porque nunca tive a oportunidade de ter. O último animal que tive, foi quando eu morava com a minha mãe. Nos lugares onde eu morei, não podia ter animal ( e os lugares onde eu morei, mal cabia eu também haha).
Depois que me casei, (entenda como: juntei os trapos) morei na casa da minha sogra e em um apartamento que também não podia, estava ficando difícil eu ter um bichinho, mas eu continuava a querer demais. POST SOBRE LEONA 02POST SOBRE LEONA 03Até que um dia tcharaaammm me mudei para uma casa. Daí era a hora de encher meu coração de felicidade e pegar um animalzinho. Na minha cabeça, óbvio, pegaria um cachorro porque sabia cuidar bem, dar amor, tudo estava decorado na minha cabeça como fazer. Até que o Jean veio com a ideia de pegar um gato!! Meu Deus, um gato ??? Mas eu nem sei lidar com um gato, nem sei dar carinho, ele vai me avançar, ele solta pelo, ele faz xixi “fedido”!!!! Engano meu, pode até ser que ele faça tudo isso, mas o carinho que o gato trás, as brincadeiras, é muito maior.

Pegamos uma fêmea, Leona é o nome dela, ela tem só dois meses, mas já me trouxe tanta alegria, desenvolve rápido igual criança hahaha. Cada dia ela sobe em um lugar diferente e eu tenho que fazer um escândalo dentro de casa para ela aprender que ali não é lugar para gatos. Leona nesses 2 meses de vida já fez de tudo, é arteira pra caramba, já fez xixi e cocô na nossa cama, brinca de esconde-esconde quase matando a gente de tanto rir, era fedida, agora já está cheirosa haha, e agora está tentando subir na janela para ver o mundo lá fora (meu Deus!!).POST SOBRE LEONAPOST SOBRE LEONA 01
O post era para isso: “Tenham gatos”. Compre, adote, mas tenha. Ainda mais se você não tiver filhos, ele preenche “um pouco” esse espaço.
Espero que tenham gostado
Beijos e até a próxima.